fbpx
Renegociar crédito habitação

Renegociar crédito à habitação: O que muda até ao fim de 2023?

A inflação e a subida das taxas Euribor têm colocado maior pressão no orçamento das famílias. Renegociar o crédito à habitação pode ser um passo importante para atenuar os aumentos. Prevendo-se que esta tendência se mantenha, o Governo aprovou algumas medidas específicas para quem tem um empréstimo da casa. 

O objetivo é que as pessoas continuem a ter capacidade de pagar a mensalidade e não entrem em incumprimento bancário. Com o custo de vida a aumentar, nomeadamente nos produtos e serviços essenciais, esta é uma forma de proteger o direito à habitação

Para quem tem ou pretende adquirir um empréstimo para a casa, saber mais sobre estas medidas é muito importante. De seguida, explicamos-lhe os pontos de interesse para quem quer renegociar o crédito à habitação. 

Medidas em vigor até ao final de 2023 

1. Avaliação da taxa de esforço acima dos 36% 

Até ao final de 2023, os bancos vão ter que se mostrar disponíveis para renegociar o crédito à habitação com os clientes e famílias que apresentem uma taxa de esforço superior a 36%. Esta medida abrange os contratos para casa própria e permanente, com taxa de juro variável e montante de empréstimo até 300 mil euros

Com este cenário, a renegociação do crédito à habitação pode avançar perante uma de três situações: 

➢ A taxa de esforço cresce 5% relativamente ao período homólogo (ou à data da contratação do crédito à habitação, no caso de ter sido celebrado nos últimos 12 meses) e ultrapassa os 36%; 

➢ A Euribor subiu mais de 3% em relação ao que foi considerado aquando da contratação do empréstimo, sendo que daí resulta uma taxa de esforço acima dos 36%; 

➢ A taxa de esforço passa os 50% (nestes casos não é necessário fazer a comparação com situações passadas). 

Cabe às instituições bancárias fazerem o acompanhamento da taxa de esforço dos clientes. Caso sinalizem alguma situação, devem contactar o cliente 60 dias antes da atualização da taxa contratada (3, 6 ou 12 meses). Mas também pode ser o cliente a pedir a renegociação. 

Se tem um empréstimo da casa, é possível que o seu banco solicite alguns documentos e informações de modo a aferir esta questão. Caso isso aconteça, tem um prazo de 10 dias para disponibilizar os dados solicitados. 

O Decreto-Lei prevê sanções para as instituições bancárias que não cumpram as regras para renegociar o crédito à habitação. Mediante tais situações, as coimas podem ir dos 3 mil aos 1,5 milhões de euros. 

Quais as soluções para quem quer renegociar o crédito à habitação? 

Quando a instituição bancária deteta a subida da taxa de esforço ou o cliente demonstra que há um agravamento da sua condição financeira, podem se negociadas as seguintes propostas: 

  • Alargar o prazo do crédito à habitação, no limite imposto pelo Banco de Portugal, durante um período máximo de cinco anos (altura limite para retomar o prazo original); 
  • Fixar um período de carência de pagamento de capital; 
  • Diferir parte do capital para o fim do empréstimo; 
  • Reduzir a taxa de juro durante um período de tempo acordado com o banco; 
  • Refinanciar ou consolidar crédito
  • Transferir o crédito à habitação

Até 31 de dezembro de 2023, ficam isentos do pagamento de Imposto de Selo os clientes que, ao renegociarem o crédito à habitação, optem pelo alargamento do prazo de pagamento, refinanciamento da dívida ou transferência de crédito.  

2. Isenção da comissão de amortização 

A segunda grande medida, em vigor até 31 de dezembro de 2023, é a isenção de pagamento de comissão de amortização. Este benefício abrange apenas os créditos à habitação com taxa variável. Quer isto dizer que os clientes podem avançar para a liquidação total ou parcial do empréstimo, sem que lhes seja cobrado 0,5% do capital amortizado. 

Numa altura em que o contexto socioeconómico é imprevisível, estar informado sobre os recursos e mecanismos a que pode recorrer para proteger as suas finanças pessoais é a melhor estratégia. 

Monitorize regularmente a sua condição financeira e recorra a todos os mecanismos que o possam ajudar a minimizar os impactos desta crise global. Para o ajudar neste processo, a Go Crédito disponibiliza no seu blog vários conteúdos. Subscreva e não perca as últimas novidades sobre crédito. 

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go Crédito

Empresa especializada na intermediação de crédito, autorizada e supervisionada pelo Banco de Portugal é especializada na prestação de serviços de intermediação de crédito e consultoria.